• Cedoc LGBTI+: Centro de Documentação Profª Dr. Luiz Mott

  • Voltar

Inaugurado pelo Grupo Dignidade no dia 14 de dezembro de 2007, o Centro de Documentação Profº Dr. Luiz Mott (Cedoc LGBTI+) guarda um dos maiores e mais relevantes acervos brasileiros sobre a temática LGBTI+ nos mais variados suportes: livros, jornais, revistas, produções acadêmicas (artigos, trabalhos de conclusão de curso, teses e dissertações), CD’s, DVD’s, fotografias, folhetos, cartazes e grande quantidade de documentos dos grupos, dos projetos e do movimento LGBTI+. Além da temática LGBTI+, com materiais nacionais e internacionais, o acervo também abrange temas correlatos como educação, direitos humanos, saúde, prevenção às IST’s/ Hiv/ Aids, etc. reunidos desde a fundação do Grupo Dignidade em 1992. Segundo Toni Reis, um dos idealizadores do Cedoc LGBTI+, o:

Centro de Documentação Professor Doutor Luiz Mott foi uma ideia surgida do Gay Games, em Amsterdã, em 1998. Consiste na aproximação da comunidade LGBT com a ‘academia’, isto é, com os estudos, pesquisas, produção de conhecimento do movimento ao longo dos anos. Foi colocado em prática em 2006. O nome é uma homenagem ao mais antigo militante homossexual em atividade, do movimento LGBT brasileiro.

O projeto caracteriza uma profissionalização do Dignidade e seu objetivo é facilitar o acesso às informações para profissionais de educação, saúde, estudantes universitários. ‘Existe um clima propício, tem muita procura por informações sobre a homossexualidade e o movimento. Não é mais tabu e as pessoas querem se informar mesmo’, explica Toni.

Fonte: Uma história de Dignidade. Curitiba: Grupo Dignidade, 2008, p. 49.
Inauguração do Cedoc LGBTI+ em 14/12/2007 com a presença do Prof. Dr. Luiz Mott

O Cedoc LGBTI+ homenageia o etno-historiador Profº Dr. Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB) e decano do movimento LGBTI+ além de importante pesquisador sobre a temática LGBTI+ responsável pela publicação de mais de 20 livros.

Placa de inauguração e materiais disponibilizados “leve seu exemplar”
Exposição permanente com premiações, materiais produzidos pelo Dignidade e peças do acervo Cedoc LGBTI+

Ocupando uma sala de 56 metros quadrados dentro da sede do Grupo Dignidade no Centro de Curitiba – Paraná. seu acervo está distribuído em treze estantes, cinco arquivos e cinco armários de aço, uma mapoteca e duas vitrines expositoras, além da estrutura de gestão do acervo com computadores e equipamentos para digitalização e mesas para consulta/ pesquisa. Em seus mais de 13 anos de existência o Cedoc LGBTI+ desenvolveu diversas atividades e projetos.

Visão geral do Cedoc LGBTI+

No ano de 2008 em razão das comemorações dos 15 anos do Grupo Dignidade foram lançados o livro “Uma história de Dignidade… Grupo Dignidade – contribuindo para a construção da cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT)” e o DVD “Trilogia LGBT” com o documentário “Uma história de Dignidade”, ambos sobre a história do grupo e elaborados com o acervo do Cedoc LGBTI+.

Livro “Uma história de Dignidade”, DVD “Trilogia LGBT, livro e DVD “Resgatando o Gala Gay do Clube Operário” publicações produzidas com a participação do acervo Cedoc LGBTI+

Em 2009 o Cedoc LGBTI+ f oi uma das iniciativas contempladas pelo PRÊMIO CULTURAL LGBT 2009 do Ministério da Cultura/ Secretaria da I dentidade e da Diversidade Cultural (Minc/ SID), concurso parte do Programa Brasil sem Homofobia da Secretaria Especial de Direitos Humanos: Programa de Combate à Violência e à Discriminação contra LGBT e de Promoção da Cidadania Homossexual.

Em 2010 o projeto “Restauração do jornal Lampião da Esquina” que, além da restauração, digitalizou e disponibilizou online todas as edições do jornal Lampião da Esquina, primeiro jornal de circulação nacional feito “por” e “para” a população LGBTI+, fonte importantíssima para a história da população e do movimento LGBTI+ brasileiro. A disponibilização online do jornal fomentou, ao facilitar o acesso, diversas pesquisas 

Grupo Dignidade-Curitiba, de forma louvável, organizou em 2007 o Centro de Documentação Professor Dr. Luís Mott e, nele, tornou possível a digitalização de toda coleção de exemplares do jornal Lampião da Esquina, com isso agora acessível a qualquer pesquisador, de qualquer parte do mundo.
É simplesmente indizível o significado desse gesto, seja para a comunidade mundial de pesquisadores, seja para os militantes interessados pela sua história.

COLAÇO, Rita. Os Acervos Históricos e a Parca Cultura de sua Preservação

Também em 2010 foi lançado o projeto impresso e audiovisual “Resgatando o Gala Gay do Clube Operário” com a produção de livro e DVD sobre a história do baile de carnaval Gala Gay realizado desde 1957 no Clube Operário, em Curitiba. O Gala Gay, também conhecido como baile dos enxutos, ficou nacionalmente conhecido por seus concursos de travestis.

Em 2020 o Grupo Gay da Bahia, organização mais antiga do movimento LGBTI+ da América Latina em funcionamento ininterrupto, doou ao Cedoc LGBTI+ uma parte do seu acervo reunido durante suas quatro décadas de história. Em 2021 realizamos o projeto “Acervo Histórico LGBTI+ Brasileiro” com financiamento da DORITOS Rainbow. O projeto consistiu na compra de mobiliário, computadores e scanners para adequação do Cedoc LGBTI+ e tratamento do acervo (30 caixas, em torno de 1100 kg) doado pelo GGB.

Processo de separação dos cartazes que fazem parte do acervo Cedoc LGBTI+

Conheça nossa Política de Gestão de Acervo